Uncategorized

Síndico profissional na quarentena: o que muda?

Assim como outras áreas, o mercado imobiliário teve uma grande mudança com a pandemia do coronavírus. A rotina do corretor de imóveis mudou bastante e o dia a dia do síndico profissional também. Maria Lucia Lopes, corretora de imóveis e síndica profissional, explica melhor como fica a gestão condominial nesse período e dá dicas de alguns cuidados que devem ser priorizados pelo síndico profissional durante a quarentena.

Higienização do condomínio

O principal cuidado que devemos ter é com a higienização. Desde o início da pandemia do Covid-19, o álcool em gel tem sido um grande aliado de todos. É importante que sempre tenha um frasco de álcool em gel na recepção.

Orientação dos profissionais e moradores do condomínio

Outro ponto importantíssimo é orientar devidamente os profissionais do condomínio e os moradores sobre as medidas que serão adotadas nesse período. Mesmo com um comunicado geral sobre evitar aglomerações, é bom reforçar sobre o uso dos elevadores, higienização de maçanetas, corrimão de escadas, biometria, enfim.

“Enviamos e-mails para a equipe e moradores orientando sobre como proceder e os cuidados do condomínio. Até mesmo com a questão de delivery: o motoboy não pode subir, a pessoa que deve ir buscar.”, exemplifica Maria Lúcia.

Áreas comuns

Essa é uma questão delicada, mas uma coisa temos que defender: a saúde está acima de tudo. As áreas comuns do condomínio, como piscina, academia, salão de festas e playground, podem ser interditadas, pois isso é para preservar o coletivo. Essa decisão, em especial, pode ser difícil para o síndico profissional na quarentena e depende do bom senso dos condôminos.

Maria Lúcia conta que foi “uma questão polêmica, mas os condôminos têm que entender que estamos falando de saúde, e ela está acima da propriedade. E não posso simplesmente abrir exceção para uma pessoa, eu tenho outros moradores e não tenho como controlar isso – até porque a gente não sabe se a pessoa está contaminada, até que ponto ela realmente higienizou, o tempo de permanência e quantas pessoas estavam no local”. Além disso, a síndica profissional optou por suspender qualquer tipo de obra existente no condomínio para evitar o fluxo intenso de pessoas.

Assembleias e questões ordinária

Em segundo plano, estão as questões chamadas “ordinárias” do condomínio, que são importantes, mas não são urgentes. Por estarmos vivendo uma pandemia e existir uma proibição de aglomerações, as assembleias, por exemplo, devem ser canceladas ou adiadas. Entre os assuntos que não demandam urgência, estão: aprovação de revisão orçamentária e contas do ano anterior.

Eleições para síndicos

Já algo que não se pode esperar é a eleição do síndico do condomínio. Normalmente, a gestão é anual ou bienal e, quando acaba, a reeleição ou uma nova gestão deve começar imediatamente. Caso contrário, o próprio condomínio será prejudicado, pois não haverá como pagar as despesas do condomínio em dia. Quando o período de gestão termina, automaticamente o banco e a Receita Federal bloqueiam o acesso do síndico à conta, assim não tem como realizar os pagamentos. E, nesse momento, a melhor coisa para o síndico profissional na quarentena fazer é pedir a prorrogação da gestão.

Mas o que eu preciso fazer?

Temos duas soluções: uma é assembleia virtual e a outra é convocar uma assembleia de prorrogação da gestão do síndico. Mas sem aglomeração, claro… e vamos explicar isso melhor.

Maria Lúcia não aconselha a primeira opção. Segundo ela, “para fazer a assembleia virtual, é difícil juntar todo mundo, não tem como comprovar a eleição limpa e, se não participarem todos os condôminos, fica até sem validade. Não são todos que sabem mexer ou têm acesso à ferramenta, temos uma multiplicidade de pessoas no condomínio e devemos respeitar isso”.

A síndica defende a assembleia para prorrogar a gestão do condomínio. “A segunda é mais plausível e não precisa ter uma reunião presencial. Basta enviar um e-mail comunicando a situação e deixar uma lista de presença na portaria. As pessoas vão assinar e colocar em uma urna, como em eleições antigas mesmo”, explica Maria Lúcia.

O próximo passo é fazer a averbação do documento no cartório. Depois, levar no banco e reativar a autorização dele para fazer os pagamentos do condomínio. Com essa documentação, o síndico pode dar continuidade às atividades até uma nova eleição, sem prejudicar o condomínio.

 

Do cuidado do prédio, passando pela comunicação, até a ata de condomínio, Maria Lúcia comenta sua experiência com a gestão de condomínios durante a quarentena nesse vídeo do Corretor Conteúdo.

E se você se interessou pela profissão de síndico profissional, saiba mais sobre o nosso curso aqui. A grade curricular conta com disciplinas estratégicas para se tornar especialista na gestão condominial. O curso tem carga horária de 120 horas e é na modalidade EaD, ou seja: você pode estudar de onde estiver e concluir o curso em 4 meses.

Tem alguma dúvida? Entre em contato com a gente!

Leave a Reply