A Caixa Econômica Federal retomou no mês de janeiro a linha de empréstimo imobiliário Pró-Cotista. Ela é uma das mais baratas do país. Ela foi suspensa em junho de 2017 por falta de recursos, mas voltou em 2018 e tudo indica que ajudará a reaquecer o mercado. O banco também elevou o limite de financiamento de 50% para 70% para imóveis usados. Com isso, os consumidores podem dar uma entrada menor para financiar casas e apartamentos usados. Essa é outra ótima notícia para quem está tentando vender um imóvel há algum tempo, mas não encontra compradores dispostos a pagar uma alta quantia de entrada. Já para unidades novas, foi mantido o percentual de 80% no teto do financiamento.

As novidades movimentaram o mercado, pois são mais um indício de aumento nas vendas de imóveis em 2018. Se você é corretor, é muito importante saber um pouco mais sobre essa linha de empréstimo imobiliário. Reunimos alguns pontos para você ficar por dentro:

 

Mais barata

A linha pró-cotista é hoje o empréstimo imobiliário que cobra os menores juros para quem não se enquadra nas regras do programa Minha Casa Minha Vida. Além da Caixa, o Banco do Brasil é o único que oferece a pró-cotista. Ela possui taxas de juros que variam de 7,85% (clientes com débito em conta ou conta-salário) a 8,85% ao ano.

 

Quem pode utilizar?

De acordo com a Caixa Econômica Federal, podem solicitar o empréstimo imobiliário aqueles clientes que atenderem aos critérios estabelecidos pelo Conselho Curador do FGTS, ou seja, trabalhadores com conta no FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) que comprovarem 36 meses de trabalho sob o regime do FGTS (não necessariamente consecutivos). Ou aqueles com saldo em conta vinculada de, no mínimo, 10% do valor da avaliação do imóvel.

Os compradores também não podem ser proprietários de imóvel no município (ou região metropolitana) onde moram ou onde trabalham, nem ser detentores de financiamento no SFH em qualquer parte do país, tanto para imóvel novo e quanto usado.

 

Quanto tempo para pagar?

Os empréstimos imobiliários podem ser pagos em até 30 anos, na aquisição de imóveis de até R$ 950 mil em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal. Nos demais estados o teto é de R$ 800 mil. Ao todo, a Caixa disponibilizou R$ 4 bilhões para este ano. A procura pela linha de crédito é o que determinará quando o recurso estará esgotado.

 

Entrada menor

O aumento no teto de financiamento de 50% para 70% para imóveis usados vale para contratos pelo SAC (Sistema de Amortização Constante), aqueles em que o valor das parcelas cai ao longo do tempo, para todas as modalidades de financiamento: Minha Casa Minha Vida, Pró-Cotista FGTS e SBPE (que usa recursos da poupança).

 

Agora que você já sabe um pouco mais sobre essa linha de empréstimo imobiliário, que tal se preparar para atender novos clientes? Fale com o IBREP e conheça os melhores cursos para corretores de imóveis.